Exposição RYUKYU BINGATA Cores e Formas das Artes Têxteis de Okinawa 2018 – São Paulo-SP

Exposição RYUKYU BINGATA Cores e Formas das Artes Têxteis de Okinawa 2018 - São Paulo-SP
Links patrocinados
Criação, hospedagem e manutenção de sites responsivos - NIPPO Soluções
Compartilhe

Data/Hora 10/11/2018 - 15/12/2018 / 09:00 - 19:30

Local (MAPA e EVENTOS programados)
Mapa Fundação Japão – São Paulo-SP
Avenida Paulista, 52 – 3º andar - São Paulo-SP


Exposição RYUKYU BINGATA Cores e Formas das Artes Têxteis de Okinawa 2018 – São Paulo-SP

A Fundação Japão realiza a exposição Ryukyu Bingata: Cores e Formas das Artes Têxteis de Okinawa, com uma série de atividades culturais gratuitas sobre o tema.

Links patrocinados

Bingata

O bingata é uma técnica de tingimento de tecido muito tradicional, datado do século 14, e um reconhecimento da identidade okinawana. Basicamente, consiste na estampagem de padrões coloridos usando estêncil. Alguns artistas encontram novos usos para a técnica bingata em roupas japonesas e de estilo ocidental, outros já a empregam para expressar seu ponto de vista artístico.

A imigração japonesa trouxe as técnicas de bingata para no Brasil, passando a representar a memória afetiva de uma terra tão distante, mas nunca esquecida por seus descendentes. Usadas nas artes, nas danças, nas músicas ou nos festivais, o bingata em terras brasileiras encontrou sua própria singularidade, com temas e cores, formas e estilos tipicamente da cultura nacional e que poderão ser admirados na exposição.

Exposição

A exposição apresenta itens que atestam a importância e o carinho dos okinawanos e seus descendentes no Brasil por seus tecidos. Estarão expostos quimonos de bingata (sendo um Chinen e um Shiroma); um vestido de noiva ocidental, tingido com padrões bingata; tecelagem Bashofu com fibras de Itobasho (Musa liukinensis – variedade de bananeira de Okinawa) na produção de quimonos; quimonos de Ryukyu kasuri, tradicional técnica de tecelagem da cidade de Haebaru; bonecas tecelãs cedidas pela Associação Okinawa Kenjin do Brasil; exemplares de tecidos, artefatos do dia a dia, fotografias.

Os quimonos de bingata e de bashofu são classificados como patrimônios culturais imateriais pela Unesco, a agência da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Educação, a Ciência e a Cultura.

A classificação de patrimônio cultural imaterial é relacionada ao conhecimento na expressões de vida e tradições que as comunidades, grupos e indivíduos recebem de seus ancestrais e as repassam aos seus descendentes.

Atividades Culturais

Todas as atividades culturais promovidas durante o evento são gratuitas e abertas ao público. Distribuição de senhas na biblioteca 30 minutos antes do início das atividades, uma por pessoa.

Oficina de BINGATA, com Sonia Ishikawa (15 vagas) – Uma oportunidade para conhecer um pouco mais sobre a Arte Bingata e o passo a passo do processo de tingimento.

Data: 10 de novembro (sábado) e 15 de dezembro (sábado), das 14h às 16h
Classificação: 15 anos

Oficina de KIRIGAMI, com Nori Sadoyama (15 vagas) – Confecção de três modelos de marcadores de páginas, com motivos de bingata, bashofu e Ryukyu kasuri, além de um hanagasa.

Datas: 16 de novembro (sexta-feira), 7 e 14 de dezembro (sextas-feiras), das 14h às 15h30
Classificação: 12 anos

Bate-papo sobre BASHOFU, com Mariane Koti Higa (15 vagas) – Relato da experiência de Mariane em sua visita à Okinawa como bolsista da Prefeitura de Oogimi, em 2014, vivenciando o dia a dia da fabricação da arte Bashofu.

Data: 17 de novembro (sábado), das 15h às 16h
Classificação: livre

Bate-papo sobre SANSHIN, com Sarita Sayuri Shirado Michels – Que nos mostrará o processo de fabricação do Sanshin 三線, instrumento típico de Okinawa e precursor do Shamisen 三味線, instrumento típico japonês (ambos são instrumentos de três cordas, similares ao banjo), que será seguida de uma apresentação de Sanshin.

Data: 8 de dezembro (sábado), das 15h às 16h
Classificação: livre

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS, com Aurora Kyoko Nakati Kinto e Celso Akihide Shiroma – Serão contadas duas histórias em japonês, em uchinaguchi (o dialeto de Okinawa) e em português, utilizando dois livros.

1) エイサーだいこでちむどんどん (Tambores de Eisa, o coração bate emocionado). Seguida de uma breve apresentação de Eisa.

Data: 24 de novembro (sábado), às 16h
Classificação: livre

2) おおづなひきでちむどんどん (Grande Cabo de Guerra, o coração bate emocionado). Seguido de breve bate-papo sobre uchinaguchi (o dialeto de Okinawa).

Data: 01 de dezembro (sábado), às 14h
Classificação: livre

Ministrantes das Oficinas

Sônia Ishikawa – Descendente de imigrantes da Província de Okinawa, formada em Artes Plásticas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, estudou estamparia na Universidade de Artes de Okinawa, em 1996. Em 1998, fez estágio no atelier do renomado mestre Eijun Shiroma, em Okinawa.

Nori Sadoyama – Ele nasceu em São Paulo-SP, é descendente de imigrantes da Província de Okinawa e possui formação em cursos de origami, kirigami, oshiê, kiriê e paper craft. Trabalha há 22 anos com artesanato e ministra oficinas de kirigami no Okinawa Matsuri (evento anual da região de Vila Carrão), como convidado do grupo de bolsistas Urizun.

Mariane Koti Higa – Nasceu em Presidente Prudente-SP e é descendente de imigrantes da Província de Okinawa. Formada em Engenharia de Produção, com ênfase em Confecção Industrial pela Universidade Estadual de Maringá (UEM-PR).

Sarita Sayuri Shirado Michels – Nasceu em Campo Grande-MS e é descendente de imigrantes da Província de Okinawa. Sarita estudou durante um ano a arte da fabricação de Sanshin em uma cooperativa de fabricantes, em Okinawa. Hoje, trabalha como luthier na reforma e fabricação do instrumento.

Aurora Kyoko Nakati Kinto – Homenageada do Governo de Okinawa com o título de Embaixadora da Boa Vontade de Okinawa (新ウチナー民間大使), em 2016.

Celso Akihide Shiroma – Nasceu em São Paulo-SP e é descendente de imigrantes da Província de Okinawa. Possui graduação em Ciência Política e Teoria das Relações Internacionais na University of the Ryukyu e colaborou na publicação do Dicionário Okinawano-Português.

Data

De 10/11/2018, sábado, a 15/12/2018, sábado

Visitação de terça a sexta das 10h30 às 19h30 e sábado das 9h às 17h

Local

Biblioteca da Fundação Japão – São Paulo-SP
Avenida Paulista, 52, 3º andar – Bela Vista
São Paulo-SP

Ingresso

Entrada franca

Informações

https://fjsp.org.br/agenda/ryukyu_bingata/

(11) 3141-0110 ou [email protected]

Saiba mais

Fundação Japão – São Paulo-SP

Exposição RYUKYU BINGATA Cores e Formas das Artes Têxteis de Okinawa 2018 - São Paulo-SP
Exposição RYUKYU BINGATA Cores e Formas das Artes Têxteis de Okinawa 2018 – São Paulo-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *